PLANO DE CURSO  
ANO: 2020
 
CURSO: ENFERMAGEM SÉRIE: 4
DISCIPLINA: ENFERMAGEM EM TERAPIA INTENSIVA ADULTA    
 

Aulas Teóricas: 152

A) EMENTA

A disciplina aborda o desenvolvimento das competências necessárias à atuação do enfermeiro em Unidades de Terapia Intensiva de Adustos, por meio de trabalho em equipe multidisciplinar na atenção a pacientes necessidades de saúde de alta complexidade.
1- Proposito: A disciplina aborda o desenvolvimento das competências do estudante de enfermagem no cuidado de enfermagem a indivíduos adultos hospitalizados em situações críticas de saúde.

2- Áreas de conhecimento: anatomia humana e patológica, bioquímica, enfermagem clínica, enfermagem em saúde mental/psiquiátrica, administração aplicada a enfermagem, ética, bioética, fisiologia, farmacologia, informática em saúde, nutrição, psicologia, semiologia, epidemiologia, traumatologia

B) OBJETIVOS / COMPETÊNCIAS

Compreender a politica nacional de urgência e emergência recomendada pelo Ministério da saúde; compreender a organização de um serviço de emergência; conhecer e compreender a infra-estrutura e organização de um serviço de urgência/emergência e Unidade de terapia intensiva ; analisar o perfil epidemiológico dos indivíduos atendidos na Unidade de emergência adulto (UEA) e Unidade de terapia intensiva (UTI); conhecer as atividades de gerencias em uma UEA e UTI; aplicar o suporte básico e avançado de vida a pacientes críticos em emergências clínicas, traumáticas ou psiquiátricas; conhecer as medicações utilizadas em situações de emergência; aplicação prática do suporte de vida básico e avançado; realizar o cuidado de enfermagem ao individuo em situações criticas de saúde por meio da Sistematização da assistência de enfermagem (SAE); preparar alta hospitalar, transferência ou cuidado ao óbito de indivíduos atendidos em uma UEA ou UTI; avaliar o cuidado prestado a indivíduos em situações críticas, propondo ações preventivas, de melhorias, mediante avaliações dos determinantes; compreender e utilizar as normas básicas de biossegurança; realizar medidas de conforto aos indivíduos em situações criticas, preservando sua individualidade; desenvolver habilidade de trabalho em grupo e multidisciplinar; refletir sobre o cuidado recomendado a indivíduos em situações criticas, tomando como base a ética e bioética; atender a família dos indivíduos em situações criticas, atentando as orientações necessárias ao suporte no processo de hospitalização, de adoecer e morrer; compreender e utilizar os recursos disponíveis no serviço para atendimento e recuperação do individuo em situação critica de saúde.


C) BASES TECNOLÓGICAS (CONTEÚDO PROGRAMÁTICO)

1 Ética, Bioética e Humanização
2 Materiais e equipamentos para sala de emergência e UTI
3 Administração Aplicada à Enfermagem em Unidade de Terapia Intensiva
4 Medicações utilizadas em situações de emergência: carrinho de emergência, drogas vasoativas
5 Sistematização da Enfermagem (SAE)
6 Tecnologia e Monitorização Invasiva e Não Invasiva
7 Infecção Hospitalar / Biossegurança
8 Suporte básico e avançado de vida - BLS e ATLS
9 Assistência de Enfermagem ao paciente em situações de urgência/ emergência e UTI: Vítimas de trauma: crânio-encefálico, cervical, torácico e abdominal
Choque
Alterações Cardiovascular: arritmias cardíacas, crise hipertensiva, desfibrilação e cardioversão elétrica, ICC, edema agudo de pulmão, reanimação cardiorrespiratória, síndrome coronariana aguda
Alterações Circulatórias: AVC
Alterações Neurológicas: avaliação do nível de consciência, coma, convulsões
Alterações Respiratórias: DPOC, derrame pleural, pneumotórax espontâneo, tromboembolia pulmonar, insuficiência respiratória aguda, ventilação mecânica
Alterações Renais: insuficiência renal aguda
Alterações endócrinas: cetoacidose diabética, estado hiperosmolar hiperglicêmico)
Alterações Gastrointestinais: abdômen agudo, encefalopatia hepática, hemorragia digestiva
Alterações Psiquiátricas
Doenças Profissionais do Trabalhador de UTI
Doação de Órgãos


D) ATIVIDADES DISCENTES

Estudos de caso, seminários, prática simulada em laboratório


E) AVALIAÇÃO

Avaliações teóricas e práticas com o objetivo de avaliar se o estudante atingiu os objetivos propostos pela disciplina


F) BIBLIOGRAFIA BÁSICA
GONZALES, Rita Francis. A Relação com O Paciente : Teoria, Ensino e Prática. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2003
KURCGANT, Paulina. Administração em Enfermagem.
BARROS, Alba Lucia Botura Leite. Anamnese e Exame Físico : Avaliação Diagnóstica de Enfermagem No Adulto. Porto Alegre: Artmed, 2002.
BICKLEY, Lynn S.. Bates Propedêutica Médica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005.
SILVA, Sandra Cristine Da. Boas Práticas de Enfermagem em Adultos: Procedimentos Básicos. São Paulo: Atheneu, 2008.
MANN, Douglas L.. Braunwald Tratado de Doenças Cardiovasculares- Vol 1. Rio de Janeiro: Elsevier, 2013.
SMELTZER, Suzanne C.. Brunner & Suddarth: Tratado de Enfermagem Médico-cirúrgica- Vol 1. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011.
MOORHEAD, Sue. Classificação dos Resultados de Enfermagem ( Noc ). Porto Alegre: Artmed, 2008.
SANCINETTI, Tania Regina. Diagnóstico de Enfermagem Na Prática Clínica. Porto Alegre: Artmed, 2008.
BARROS, Alba Lúcia Bottura Leite. Diagnósticos de Enfermagem da Nanda : Definições e Classificação - 2005 - 2006 / 2007 - 2008 2009 - 2011-2012-2014. Porto Alegre: Artmed, 2013.
ABELHA, Cristiane Souza Vitor. Enfermagem em Emergência. São Paulo: Martinari, 2010
PADILHA, Katia Grillo. Enfermagem em Uti : Cuidando do Paciente Crítico. São Paulo: Manole, 2010.
SAMAMA, Guy. Enfermagem No Centro Cirúrgico : Ortopedia-traumatologia, Urologia-ginecologia Ecirurgia Torácica. São Paulo: Andrei, 2005.
CINTRA, Eliane Araujo. Assistência de Enfermagem Ao Paciente Gravemente Enfermo. São Paulo: Atheneu, 2008.

G) BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
WAGNER, David K.. Emergências Médicas- Vol1. São Paulo: Interamericana, 2007.
MINISTÉRIO DA, Saúde. Doenças Relacionadas Ao Trabalho. Brasilia: Ministério da Saúde, 2001.
SILVA, Maria Júlia Paes Da. Comunicação Tem Remédio : A Comunicação Nas Relações Interpessoais em Saúde. São Paulo: Edições Loyola, 2006
Higa SEM , Atallah AN. Medicina de urgência. Barueri: Manole; 2008.
Smeltzer SC, Bare G. Tratado de Enfermagem médico-cirurgica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 1996.
Brito CAA, Bacelar TS. Condutas em emergências médicas. Medsi; 2003.
Singi G. Fisiologia dinâmica. São Paulo: Atheneu; 2001.
Andris DA. Semiologia: bases para a prática assistencial. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2006.
Azevedo ALCS. Gerenciamento do cuidado de enfermagem em unidade de urgência traumática [dissertação]. Ribeirão Preto: Escola de enfermagem, Universidade de São Paulo; 2010.
FORTES, Júlia Ikeda. Enfermagem em Emergências. São Paulo: EPU, 1986.
GALLO, Bárbara & HUDAK, Carolyn M. Cuidados Intensivos de Enfermagem: uma Abordagem Holística. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2007.
Knobel, Elias. Condutas no paciente grave. 2ed. São Paulo: Atheneu, 1998.
PUTZ, Reinhard. Atlas de Anatomia Humana Sobotta : Volume 1 - Cabeça, Pescoço e Extremidade Superior. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.
SILVA, Sandra Cristine Da. Boas Práticas de Enfermagem em Adultos: Procedimentos Básicos. São Paulo: Atheneu, 2008. Número de exemplares: 2
BAIRD, Marianne Saunorus; BETHEL, Susan. Manual de enfermagem no cuidado crítico. Intervenções em enfermagem e condutas colaborativas. Tradução da 6 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012.